Projetos sociais contribuem para o desenvolvimento socioeconômico de Alagoas

Por Isabela Souza,

No ano de 2018, ações tiveram a oportunidade de difundir cidadania junto à comunidades pelo estado

O estado de Alagoas viu, ao longo do ano de 2018, a diversidade de expressões de cidadania que ações sociais são capazes de promover. Numa região conhecida pela riqueza de manifestações culturais, foram os municípios de Maceió, Arapiraca, Penedo, Santa Luzia do Norte e Marechal Deodoro que serviram de palco para a realização desses projetos em prol do desenvolvimento socioeconômico do estado.

Em julho do ano passado, a Associação dos Artistas de Massaranduba deu início ao projeto “Navi nas Comunidades”, que promoveu a diversidade cultural através da realização de cinco oficinas teóricas e práticas de formação audiovisual na comunidade rural de Arapiraca. A iniciativa abrangeu os povoados de Batingas, Pau d’Arco, Fernandes, Bananeiras e Pau Ferro das Laranjeiras.

Linguagem cinematográfica, roteiro, fotografia, som e música para cinema, edição e montagem, pré-produção, produção e pós-produção foram alguns dos assuntos trabalhados com os estudantes das cinco localidades do município. As oficinas e os trabalhos dos jovens resultaram na produção de cinco curtas-metragens que foram exibidos na “I Mostra Navi nas Comunidades”, no mês de dezembro, no Planetário e Casa da Ciência de Arapiraca.

Outra iniciativa executada com sucesso foi a quarta edição do “Festival de Teatro de Alagoas”, o Festal, realizado pela Cia. do Chapéu. O projeto realizou, durante o mês de outubro, uma série de espetáculos de teatro, dança, circo e performance em diversos espaços cênicos de Maceió e uma exposição mediada sobre a memória das artes cênicas do estado.

Entre os meses de agosto e dezembro, foi a vez do Instituto do Bordado Filé da Região das Lagoas Mundaú Manguaba (Inbordal) promover a cultura local. Com o projeto “Salvaguarda do filé alagoano”, a entidade deu continuidade à transmissão da tradição do bordado filé na região das lagoas através de oficinas de repasse.

Nas aulas, que foram ministradas no Pontal da Barra, em Maceió, e nos municípios de Santa Luzia do Norte e Marechal Deodoro, nos bairros de Massagueira, Taperagua e na Ilha de Santa Rita, foram resgatados os tradicionais pontos esquecidos do bordado, e então melhorando a qualidade de acabamento bem como a confecção da malha pequena.

Fechando o ano, a Associação Artística Saudáveis Subversivos realizou a “IX Mostra Sururu de Cinema Alagoano”, evento considerado uma das principais janelas para apresentação de curtas-metragens produzidos em Alagoas. Os filmes que compuseram a seleção oficial da Mostra apresentaram um cenário baseado na diversidade presente no estado.

A nona edição da Mostra também foi um momento de reconhecer os melhores trabalhos e, para isso, contou com premiações nas categorias de: melhor filme, Contribuição Artística, Contribuição Técnica, Melhor Performance, Olhar Crítico e melhor filme Júri Popular. Além da tradicional mostra competitiva, foram realizadas exibições itinerantes durante o mês de outubro nos municípios de Penedo, Arapiraca, Marechal Deodoro e Maceió.

As quatro iniciativas foram contempladas pelo Edital Algás Social 2017-2018. Para o diretor presidente da Algás, Arnóbio Cavalcanti, a realização anual do certame aponta para resultados positivos e importantes para o estado. “Esse edital marca uma forma especial de trabalhar com projetos que fortaleçam a cidadania de Alagoas, tornando o processo de seleção cada vez mais democrático e acessível”. Com um investimento total de R$ 120 mil, o certame beneficiou as quatro ações sociais com o valor individual de até R$ 30 mil.

Por Isabela Souza e Vitória de Alencar

Foto: Benita Rodrigues