Empoderamento feminino marca Semana da Mulher na Algás

Por Debora Vieira,

Companhia promove reflexões com seus funcionários durante toda semana e lembra as mulheres que fizeram parte dos 200 anos de Alagoas

A juíza Carolina Valões e a gerente de desenvolvimento humano da Algás, Renatta Cappi, iniciam debate sobre a cultura do estupro 

Exposição de esculturas, exibição de filme, palestra, oficina de arte e muito bate-papo sobre igualdade de gêneros fazem parte da Semana da Mulher na Algás, que acontece ao longo desta semana em celebração ao Dia Internacional da Mulher, nesta quarta-feira (08).

Para abrir a programação, a Companhia organizou uma exposição de peças da artista plástica alagoana e primeira mulher soldadora de Alagoas, Marta Arruda, no hall de entrada da sede da Distribuidora. As obras poderão ser conferidas pelos funcionários e visitantes da Algás até a sexta-feira (10).

Marta, que participou de um evento na Companhia no mês do trabalhador em 2016, contou para os colaboradores sobre sua trajetória e carreira, iniciada como soldadora de gasodutos, sendo uma das primeiras mulheres a trabalhar nesse ambiente dominado por homens. Agora, ela ministrará para as funcionárias da Companhia uma oficina de arte, programada para esta quarta-feira (08).

Para a gerência de desenvolvimento humano da Algás, contar com a artista-soldadora neste período, dedicado à reflexão sobre a presença e participação da mulher na sociedade, é uma oportunidade de os funcionários se inspirarem na trajetória da artista.

“A atuação de Marta na Semana da Mulher é uma ocasião em que os colaboradores podem tomar como exemplo sua dedicação, criação e força de vontade”, explicou a gerente de desenvolvimento humano e organizacional, Renata Cappi.

Debates

Além da experiência artística, as ações de empoderamento feminino da Semana da Mulher na Algás colocam em discussão a cultura do estupro.  “Há vários estudos e pesquisas que demonstram uma tendência comportamental de silenciar essa violência sexual, por diversos motivos. Precisamos falar abertamente e constantemente sobre a cultura do estupro, do ponto de vista legal, emocional, físico, social, cultural, enfim, sistêmico”, acrescentou Renata.

E, para debater a temática, os colaboradores receberam, na terça-feira (07), a juíza alagoana Carolina Valões. Na ocasião, a juíza apresentou os aspectos que definem a cultura do estupro e conversou sobre a importância de respeitar a liberdade individual das pessoas.

“Cultura do estupro é um padrão de comportamento de uma sociedade, em que a mulher, sendo vista como um ser secundário em relação ao homem, sofre violência de todas as formas. E isso se naturaliza tanto a ponto de ser considerado uma coisa normal, e não é. É importante falar sobre isso com a intenção de combater a neutralização da vítima, pois muitos acham o estupro algo normal e justificado no próprio comportamento”, pontuou a juíza.

Na opinião da analista de processos organizacionais da Algás, Marina Lins, é essencial falar sobre assuntos que envolvam as mulheres e seus direitos em qualquer lugar. “A palestra nos trouxe inúmeras informações e a partir disso podemos nos tornar multiplicadores, distribuindo conhecimento entre nossos parentes ou amigos”, pontua Marina.

A programação da Semana da Mulher ainda terá na sexta-feira (10) a exibição do filme “Nise da Silveira – O Coração da Loucura”, que narra a história da renomada psiquiatra alagoana Nise da Silveira, aluna de Carl Jung, que deu início a uma nova forma de tratamento de seus pacientes: por meio do o amor e da arte.

Homenagem

A Algás também lembra em suas redes sociais algumas personalidades femininas que foram e são importantes para os 200 anos de história de Alagoas. Mulheres como a líder quilombola Dandara, a dama do teatro alagoano Linda Mascarenhas, a precursora do movimento feminista em Alagoas Maria Mariá; a jogadora de futebol Marta e a psiquiatra Nise da Silveira.

“Não só nas redes sociais, mas toda nossa programação interna também foi pensada de modo a enaltecer o trabalho e a força das mulheres alagoanas, por isso foi extremamente importante contar com a presença da artista-soldadora Marta Arruda, da juíza Carolina Valões e falar sobre a história de Nise da Silveira”, ressaltou o diretor presidente da Companhia, Arnóbio Cavalcanti.

Segundo informações da Distribuidora, a Semana da Mulher na Algás é um momento dedicado à reflexão e discussão sobre os desafios, presença e participação da mulher na sociedade. “É um momento que além de enfatizar as conquistas, a história e os direitos, também abre espaço para falar das diferenças, preconceitos e violências que ainda permeiam a vida de milhares de mulheres”, expõe Cavalcanti.

Por Débora Vieira