Em Maceió, cresce número de residenciais que aderiram às vantagens do gás natural

Por Isabela Souza,

Cerca de 50 mil unidades residenciais já estão interligadas para uso do gás natural na capital alagoana; benefícios vão de economia à segurança

Assim como a economia, a segurança e a praticidade também são aspectos que pesam na hora de decidir a fonte de energia de um imóvel. Só em Maceió, a escolha pela eficiência energética do gás natural já foi feita por quase 50 mil unidades residenciais que utilizam os serviços da distribuidora do combustível em Alagoas, a Algás.

Segundo o gerente comercial da Companhia, Fabio Sousa, é crescente o número de moradores e síndicos da capital alagoana que têm optado pelos benefícios de ter gás natural canalizado em seus condomínios. “A segurança continua sendo um dos atrativos que explicam a procura pelo gás natural para os estabelecimentos residenciais”, afirma o gerente, explicando também que o combustível pode ser utilizado não só em fogões, mas também para o aquecimento de água em chuveiros, pias, banheiras de hidromassagem, saunas e em churrasqueiras.

A escolha pelo gás natural, de acordo com Sousa, proporciona ainda a redução do acesso de pessoas desconhecidas aos edifícios, porque não há necessidade de estoque de botijões, já que o fornecimento é contínuo por meio do gasoduto. Assim, profissionais da arquitetura e da engenharia já optam pelo combustível nos primeiros momentos do projeto.

“Além disso, por ser mais leve que o ar, sua dispersão acontece rapidamente, evitando o acúmulo do gás em caso de vazamento e diminuindo os impactos ambientais na região. É devido a essas e outras vantagens que arquitetos e construtoras de Alagoas já incluem soluções com o gás natural em seus projetos e empreendimentos”, finaliza.

Gás natural na prática

Foi com esse pensamento que o síndico do edifício Maison du Versailles, no bairro da Gruta de Lourdes, em Maceió, decidiu aderir a eficiência energética do gás natural. Segundo Reinaldo Bastos, a opção pelo combustível aconteceu logo nos primeiros projetos do empreendimento. “Como o fornecimento contínuo e canalizado elimina a necessidade de centrais de gás ou de espaços para armazenamento de botijões, percebo que os moradores se sentem mais seguros”, declara.

Conforme o síndico, além do conforto e da segurança, foi também pensando na vantagem da assistência técnica especializada que essa escolha aconteceu. “Tudo isso nos garante a praticidade e a eficiência que o combustível continuamente oferece”, finaliza o síndico, que afirma confiar no serviço prestado pela Algás.

Atendimento

Segundo indicação da própria Algás, os consumidores interessados na instalação do gás natural residencial podem entrar em contato com uma prestadora de serviços de rede interna de gás canalizado registrada no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia – CREA. A Distribuidora afirma também que seus engenheiros estão disponíveis para colaborar na elaboração de projetos de instalação através do número 117, com ligação gratuita.

 

Por Isabela Souza

Associação esclarece alta de preços do gás natural nos postos alagoanos

Por Isabela Souza,

Abegás observa que distribuidora alagoana não reajustava margem sobre o metro cúbico há 16 meses

A Associação Brasileira de Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás) emitiu na quinta-feira (7) uma nota técnica sobre a variação de preços do produto em Alagoas.

De acordo com a nota, o fator determinante para a elevação do preço do gás natural veicular (GNV) verificado nos postos de combustíveis do Estado no último ano foi o aumento praticado pela entidade supridora do produto, a Petrobras, nesse período.

A Abegás destaca ainda que a distribuidora alagoana de gás, a Algás, não promovia um reajuste em sua margem de distribuição desde o dia 22 de agosto de 2017. Essa margem foi reajustada em apenas R$ 0,037 (pouco mais de três centavos) por metro cúbico no dia 1º de fevereiro deste ano, 16 meses após o reajuste anterior.

Abaixo, a nota copleta da Abegás:

Nota de esclarecimento sobre preços de GNV em Alagoas

1-        O preço do gás natural praticado pelos postos de combustível é formado pelas seguintes componentes:

•          Preço do Gás do supridor (PETROBRAS);

•          Margem de Distribuição da ALGÁS

•          Margem dos Postos de Combustíveis;

•          Tributos.

2-        O aumento registrado nos últimos 12 meses no valor do preço do GNV dos Postos de Combustíveis (data base de 01/02/2019) deve-se, sobretudo, ao aumento do Preço do Gás praticado pelo supridor (PETROBRAS).

3-        De fato entre 1º de fevereiro de 2018 e 1º de fevereiro de 2019 o GNV nos Postos aumentou cerca de R$ 0,68/m³.

4-        Desde 1 de janeiro de 2019 a componente Preço do Gás da PETROBRAS passou a ser um fator ainda mais crítico para o crescente aumento do Preço do Gás, visto que a PETROBRAS passou a praticar uma nova política de Preços.

5-        Sendo a PETROBRAS praticamente o único supridor de Gás Natural do Brasil, a ALGÁS não tem alternativa, no momento, a não ser adquirir o Gás Natural da PETROBRAS;

6-        A Margem da ALGÁS não sofria alteração desde 22 de agosto de 2017 e em 1º de fevereiro de 2019, houve um reajuste na sua margem de apenas R$ 0,037/m³.

7-        Assim, o aumento do preço do GNV nos Postos de Combustíveis pode ser atribuído ao aumento do Preço do Gás da PETROBRAS acrescido do aumento da Margem dos Postos de Combustíveis, além do aumento de R$ 0,037/m³, que se refere ao reajuste na sua margem de apenas R$ 0,037/m³ realizado somente após 16 meses.

8-        Mesmo com o reajuste, cabe ressaltar que o GNV continua a proporcionar o melhor custo-benefício entre os combustíveis automotivos, sendo, em média, 36% mais econômico que a gasolina, e 42% em relação ao etanol, quando considerados fatores como o rendimento e o custo por quilômetro rodado, conforme tabela na sequência:

 

Combustível Rendimento (Km/l ou m³) Preço ao consumidor * Custo por Km rodado (R$/Km) Economia do GNV
Gasolina 10 R$ 3,87 R$ 0,39 36%
Etanol 7 R$ 2,97 R$ 0,42 42%
GNV 14 R$ 3,45 R$ 0,25
* Fonte: Pesquisa de preços em postos na cidade de Maceió, em 05/fev/2019.

 

9-        Importante esclarecer que, mesmo após o reajuste decorrente da alta no preço da molécula, as tarifas da Algás permanecem competitivas diante da concorrência dos combustíveis ofertados pela Petrobras, e que o desempenho econômico aqui demonstrado reflete apenas valores de mercado no momento e que os preços de todos combustíveis oscilam com as circunstâncias de suprimento e/ou de mercado gerando desempenho mais favoráveis, ou menos, em cada situação.

10-      A Abegás destaca a necessidade de o País criar condições para aumentar a concorrência na oferta de gás natural. Para isso é preciso adotar medidas que garantam o acesso dos agentes à infraestrutura de escoamento, processamento, terminais de regaseificação e de transporte.

11-      É o aumento de novos produtores ampliando a competição na oferta de molécula no mercado brasileiro que irá permitir que o gás chegue aos consumidores em condições ainda mais competitivas.

Do preço final do GNV, Algás fica com apenas 8%

Por Isabela Souza,

Dos R$ 3,45 cobrados em alguns postos de combustíveis pelo GNV, apenas R$ 0,27 correspondem à margem de distribuição da Algás.

Na Cadeia Produtiva de Óleo e Gás, formada por diversos agentes, a Algás é responsável pela distribuição, estágio que sucede a exploração, produção, processamento e transporte. Na posição de distribuidora, a Algás não produz gás natural – ela compra o produto de um supridor (a Petrobras) e distribui ao mercado sendo remunerada por tal serviço e tendo a obrigação de investir e prover no território de Alagoas a infraestrutura de gasodutos.

No segmento veicular, a Algás vende o gás natural por R$ 2,4744 para os postos de combustíveis que, por sua vez, revendem o GNV aos usuários finais por preços que chegam a até R$ 3,45. Desse valor total, apenas R$ 0,2741 correspondem ao montante destinado à Algás (a margem de distribuição).

É por meio da margem de distribuição que a Algás paga seus custos/despesas e realiza investimentos, provendo a infraestrutura da rede de gás canalizado em Alagoas, que se transforma em patrimônio transferido ao Estado ao término da concessão.

Na primeira semana de fevereiro, a tarifa do gás natural sofreu um reajuste. No segmento veicular a tarifa final homologada passou de R$ 2,3359 para R$ 2,4744.  Além do aumento do custo de aquisição do gás e das novas condições contratuais com o supridor do produto (a Petrobras), a revisão também contemplou a nova margem de distribuição praticada pela Algás, que não sofria alterações desde agosto de 2017, quando a margem da distribuidora era de R$ 0,2363 e agora foi alterada para R$ 0,2741.

Por Felipe Guimarães

Foto: Luiz Eduardo Vaz

Geração de energia a gás natural oferece economia de 66% e estabilidade no fornecimento

Por Isabela Souza,

Aplicação de combustível é utilizada para gerar maior estabilidade, autonomia e economia no suprimento de energia elétrica em grandes empreendimentos

Em Alagoas, sete grandes estabelecimentos comerciais e industriais já aderiram à alternativa para garantir geração contínua de energia através do gás natural. Segundo a distribuidora do combustível no estado, a Algás, a medida adotada garante, além da economia de até 66% no horário de ponta, mais segurança e comodidade, já que o gás é fornecido por meio de tubulação direto para o ponto de consumo.

Para o gerente comercial da Companhia, Fabio Sousa, o uso do gás natural tem se apresentado como a solução mais viável para as atividades de estabelecimentos comerciais e industriais por também ser capaz de diversificar a matriz energética desses grandes empreendimentos.

“Além disso, o gerador a gás natural tem as vantagens da gestão da própria geração de energia sem os inconvenientes dos modelos convencionais. Uma delas é o seu fornecimento contínuo, já que não há necessidade de trocar estoque, o que elimina os custos de logística e as áreas de risco e diminui impactos socioambientais”, declara Fabio.

O Hospital do Coração, localizado no bairro Gruta de Lourdes, em Maceió, foi um dos empreendimentos que aderiram à inovação. O estabelecimento, referência no estado no cuidado com a saúde do coração, conta com um potente gerador de 400 kVA que funciona a gás natural.

A unidade Sesc Poço e o supermercado Palato Farol são outros exemplos disso. Segundo dados da Algás, o gerador desses locais pode oferecer, em média, uma economia de 66% quando comparado ao óleo diesel no horário de ponta, que em Alagoas vai das 17h30 às 20h30. Esse levantamento é baseado no valor do kWh do gás natural, que custa em média R$ 0,60, enquanto o custo do diesel, no horário de ponta, chega a R$ 1,80.

Além da segurança e redução de custo operacional, quem usa o gás natural para geração de energia é parceiro do meio ambiente. “O uso do combustível contribui para a redução da emissão de gases poluentes na atmosfera, uma vez que a emissão de dióxido de enxofre e resíduos durante seu processo de combustão é menor”, finaliza o gerente da Algás.

 

Por Isabela Souza

Foto: Renata Baracho

Projetos sociais selecionados assinam contratos do Edital Algás Social 2018-2019

Por Isabela Souza,

Ações sociais nas áreas de saúde, educação, esporte, meio-ambiente e cultura serão realizadas este ano em Alagoas

A responsabilidade social, compromisso presente nos planos da distribuidora de gás natural de Alagoas, a Algás, desde a sua fundação em 1993, foi mais uma vez fortalecida na tarde desta terça-feira (29), através da assinatura dos contratos de patrocínio dos projetos selecionados pelo Edital Algás Social 2018-2019.

Para a ocasião, o diretor presidente da Companhia, Arnóbio Cavalcanti, e o diretor técnico e comercial, Flávio Barros, receberam na sede da Algás os representantes das  iniciativas aprovadas que, com a assinatura, já podem executar suas atividades até o fim deste ano.

Nesta edição, os projetos contemplados foram: “Coração de Estudante”, da Fundação Cardiovascular de Alagoas, que atuará com a avaliação cardiológica e identificação de cardiopatias congênitas de crianças de 0 a 5 anos; o “5º Festival de Artes Cênicas de Alagoas – Festal”, da Associação Artística Cia. do Chapéu, que apresentará um conjunto de ações voltado para bairros da periferia de Maceió com espetáculos de artes cênicas e oficinas lúdicas; as ações “Mundaú Lagoa Aberta”, do Instituto Quintal Cultural, que visará à melhoria da qualidade de vida na região lacunar através de atividades culturais, de lazer e entretenimento; e a “Mostra Sururu de Cinema Alagoano – Edição Comemorativa de 10 anos”, da Associação Artística Saudáveis Subversivos, que chega a sua décima edição exibindo a produção cinematográfica de Alagoas.

No encontro, o diretor presidente da Algás elogiou as iniciativas, reforçando parte da missão da Distribuidora em promover o desenvolvimento por meio do investimento social. “É por meio de iniciativas como essas que a transformação social acontece e se espalha por todo o nosso estado”, disse Arnóbio Cavalcanti.

O edital

A terceira edição do Edital Social da Algás foi lançada em maio do ano passado e teve seu resultado divulgado em outubro. O certame teve como objetivo selecionar quatro projetos sociais desenvolvidos em Alagoas nas áreas de cultura, educação, esporte, meio ambiente ou saúde, com valores individuais de até R$ 30 mil, totalizando R$ 120 mil procedentes de recursos próprios da Distribuidora.

Responsabilidade social

Para conhecer mais sobre as ações de responsabilidade social da Algás e outros projetos apoiados nos anos anteriores, incluindo os da primeira e da segunda edição do Edital Algás Social, acesse: www.algas.com.br/projetos.

Por Isabela Souza

Uso do gás natural no segmento comercial cresce em Maceió

Por Isabela Souza,

Atrativos incluem características como segurança, comodidade e eficiência energética para os mais de 600 estabelecimentos interligados

Eficiência, versatilidade e fornecimento contínuo têm sido alguns dos aspectos prioritários para quem procura um novo jeito de valorizar seu negócio. Em Maceió, é assim que o gás natural vem ganhando força no mercado. De acordo com dados da Algás, a companhia alagoana de gás natural, só na capital do estado, já são 629 clientes comerciais que se beneficiam da eficiência energética do combustível.

Segundo a Distribuidora, outro atrativo para o crescimento de 8% do uso do gás natural no segmento em 2018, é a capacidade de aumentar a rentabilidade para os comerciantes. “Fazer uso do combustível fortalece o rendimento dos negócios, pois o fornecimento é contínuo, sem interrupção e potencializa a produção, além de toda praticidade que vem junto”, afirma o gerente comercial da Algás, Fabio Sousa.

Essa é outra vantagem que gera satisfação e comodidade para quem já se beneficia da versatilidade do gás natural. É o caso do Restaurante Manguezal, localizado no bairro da Gruta de Lourdes, em Maceió.

“Antes eu ficava refém dos caminhões de abastecimento e com uma medição que era feita pelo motorista. Já temos quatro unidades do restaurante e em todas colocamos o gás natural. É atendimento contínuo, não corre o risco de esquecer nem de faltar gás, com um preço competitivo”, explica o proprietário do restaurante, Sérgio Pessoa, que decidiu aderir ao gás natural pensando nos benefícios que ele oferece.

Além dos tradicionais usos do combustível em fornos e fogões em restaurantes, ainda de acordo com Fabio Sousa, o gás natural também pode ser usado em máquinas de secar roupa de lavanderias e hotéis, por exemplo, no aquecimento de água em piscinas e saunas, em calandras, geração de energia, entre outras opções.

“Para cada perfil de consumo, existe uma solução energética capaz de reduzir os custos e que está de acordo com o perfil e necessidade de cada estabelecimento”, conclui o gerente.

 

Por Isabela Souza

Algás mantém prazo de chamada para aquisição de gás natural

Por Isabela Souza,

A Gás de Alagoas S.A – Algás, no âmbito da chamada pública para a aquisição de gás natural, objetivando o recebimento de propostas comerciais para a venda de gás natural, de acordo com as condições e especificações estabelecidas no termo de referência que integra o edital, documentos complementares e legislação pertinente, vem por meio deste comunicar:

O prazo para entrega das propostas iniciais está mantido até as 23h59m do dia 31/01/2019.

Os proponentes que ainda não tenham as condições definitivas de precificação relacionada ao acesso aos terminais de regaseificação e/ou aos gasodutos de transporte até os pontos de entrega definidos no item 7 – preços e condições comerciais, do termo de referência, poderão ainda assim encaminhar as propostas iniciais, consignando eventuais condicionantes, que entenderem necessárias. Fica desde já definido que as condições contratuais e comerciais relacionadas ao acesso aos terminais de regaseificação e/ou aos gasodutos de transporte deverão ser posteriormente ajustadas, sem prejuízo às propostas iniciais.

Gás de Alagoas S.A – Algás, according to the announcement of call for proposals for natural gas acquisition and to the conditions and specifications established in the term of reference, documents and relevant legislation, hereby advices the participants that:

The initial proposals submission deadline remains until 01/31/2019.

Bidders without the definitive pricing conditions due to access from the regasification terminals and/or transportation pipelines to the delivery points defined in item 7 – prices and commercial conditions, may submit the initial proposals, stating any restriction required. The contractual and commercial conditions related to access the regasification terminals and/or the transportation pipelines should be adjusted later, replacing the initial proposals, without prejudice to them.

Plantios do Algás Calçada Verde seguem em ação em Maceió

Por Isabela Souza,

Iniciativa promove plantio gratuito de até duas mudas de espécies da Mata Atlântica na calçada de clientes da Distribuidora

Qualidade de vida, sombra para os dias quentes e um ar mais limpo. Esses são alguns dos benefícios proporcionados pelo projeto “Algás Calçada Verde”, iniciativa desenvolvida pela distribuidora de gás natural do estado, a Algás, em parceria com o Instituto do Meio Ambiente de Alagoas (IMA/AL), que vem se consolidando e encantando cada vez mais os moradores de Maceió.

O projeto, que continua em ação em toda a cidade de Maceió, consiste no plantio gratuito de até duas árvores na calçada de cada cliente da Algás que fizer a solicitação através do número 117 (ligação gratuita) ou do hotsite www.algas.com.br/calcadaverde.

O Edifício Solar Graciliano Ramos, localizado no bairro da Ponta Verde, foi um dos empreendimentos da cidade a realizar o pedido e receber o plantio. Nídia Orci, síndica do prédio, conta que fez questão de ter mais árvores ao redor do edifício após a conclusão de uma reforma. “Tenho certeza de que a boa ideia da Algás através desse projeto trará mais conscientização ambiental à população de Maceió”, compartilha a síndica.

Para o diretor presidente da Algás, Arnóbio Cavalcanti, a iniciativa também promove atenção e reflexão sobre o meio ambiente, destacando a importância da arborização em perímetros urbanos.

“A conscientização ambiental progressiva é necessária e é um trabalho coletivo. Depois do plantio, o papel dos clientes é cultivar, para que haja sucesso na melhoria da qualidade de vida, com o ar mais puro e limpo em nossa Maceió. Esse é um projeto de todos nós, cidadãos de Maceió”, enfatiza o diretor presidente, posicionando também a Algás junto a valores ligados à preservação do meio ambiente.

De acordo com o IMA/AL, as mudas doadas pela entidade são de espécies nativas da Mata Atlântica e de raízes pivotantes, que crescem para baixo no solo e não danificam o calçamento.

O “Algás Calçada Verde” é um projeto realizado pela distribuidora alagoana de gás natural, em parceria com o IMA/AL, e conta com o apoio institucional da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário de Alagoas (Ademi-AL), do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Alagoas (CAU-AL) e do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Alagoas (Crea-AL).

 

Por Isabela Souza

Projetos sociais contribuem para o desenvolvimento socioeconômico de Alagoas

Por Isabela Souza,

No ano de 2018, ações tiveram a oportunidade de difundir cidadania junto à comunidades pelo estado

O estado de Alagoas viu, ao longo do ano de 2018, a diversidade de expressões de cidadania que ações sociais são capazes de promover. Numa região conhecida pela riqueza de manifestações culturais, foram os municípios de Maceió, Arapiraca, Penedo, Santa Luzia do Norte e Marechal Deodoro que serviram de palco para a realização desses projetos em prol do desenvolvimento socioeconômico do estado.

Em julho do ano passado, a Associação dos Artistas de Massaranduba deu início ao projeto “Navi nas Comunidades”, que promoveu a diversidade cultural através da realização de cinco oficinas teóricas e práticas de formação audiovisual na comunidade rural de Arapiraca. A iniciativa abrangeu os povoados de Batingas, Pau d’Arco, Fernandes, Bananeiras e Pau Ferro das Laranjeiras.

Linguagem cinematográfica, roteiro, fotografia, som e música para cinema, edição e montagem, pré-produção, produção e pós-produção foram alguns dos assuntos trabalhados com os estudantes das cinco localidades do município. As oficinas e os trabalhos dos jovens resultaram na produção de cinco curtas-metragens que foram exibidos na “I Mostra Navi nas Comunidades”, no mês de dezembro, no Planetário e Casa da Ciência de Arapiraca.

Outra iniciativa executada com sucesso foi a quarta edição do “Festival de Teatro de Alagoas”, o Festal, realizado pela Cia. do Chapéu. O projeto realizou, durante o mês de outubro, uma série de espetáculos de teatro, dança, circo e performance em diversos espaços cênicos de Maceió e uma exposição mediada sobre a memória das artes cênicas do estado.

Entre os meses de agosto e dezembro, foi a vez do Instituto do Bordado Filé da Região das Lagoas Mundaú Manguaba (Inbordal) promover a cultura local. Com o projeto “Salvaguarda do filé alagoano”, a entidade deu continuidade à transmissão da tradição do bordado filé na região das lagoas através de oficinas de repasse.

Nas aulas, que foram ministradas no Pontal da Barra, em Maceió, e nos municípios de Santa Luzia do Norte e Marechal Deodoro, nos bairros de Massagueira, Taperagua e na Ilha de Santa Rita, foram resgatados os tradicionais pontos esquecidos do bordado, e então melhorando a qualidade de acabamento bem como a confecção da malha pequena.

Fechando o ano, a Associação Artística Saudáveis Subversivos realizou a “IX Mostra Sururu de Cinema Alagoano”, evento considerado uma das principais janelas para apresentação de curtas-metragens produzidos em Alagoas. Os filmes que compuseram a seleção oficial da Mostra apresentaram um cenário baseado na diversidade presente no estado.

A nona edição da Mostra também foi um momento de reconhecer os melhores trabalhos e, para isso, contou com premiações nas categorias de: melhor filme, Contribuição Artística, Contribuição Técnica, Melhor Performance, Olhar Crítico e melhor filme Júri Popular. Além da tradicional mostra competitiva, foram realizadas exibições itinerantes durante o mês de outubro nos municípios de Penedo, Arapiraca, Marechal Deodoro e Maceió.

As quatro iniciativas foram contempladas pelo Edital Algás Social 2017-2018. Para o diretor presidente da Algás, Arnóbio Cavalcanti, a realização anual do certame aponta para resultados positivos e importantes para o estado. “Esse edital marca uma forma especial de trabalhar com projetos que fortaleçam a cidadania de Alagoas, tornando o processo de seleção cada vez mais democrático e acessível”. Com um investimento total de R$ 120 mil, o certame beneficiou as quatro ações sociais com o valor individual de até R$ 30 mil.

Por Isabela Souza e Vitória de Alencar

Foto: Benita Rodrigues

Algás amplia e renova promoção “GNV é Mil”

Por Vitória de Alencar,

Campanha teve concessão de bônus duplicada e prazo para adesão renovado

Devido ao sucesso da promoção “GNV é Mil”, a Algás duplicou o número de kits para conversão de veículos para o GNV. Agora, mais 150 motoristas terão a oportunidade de converter seus veículos e usufruir da economia do gás natural veicular.

Inicialmente com validade até março deste ano, a iniciativa atingiu a marca dos 150 kits ainda no mês de dezembro de 2018. Por isso, a promoção teve seu prazo renovado para junho e concessão de bônus duplicada. Com a “GNV é Mil”, os próximos 150 motoristas de Alagoas que instalarem o kit a partir da 5ª geração com cilindros novos em seus veículos receberão um bônus de mil reais da Companhia.

O gerente comercial da Algás, Fabio Sousa, reforça a economia do GNV. “O gás natural continua sendo a opção mais econômica para os motoristas que rodam muito, principalmente por conta das constantes variações nos preços da gasolina e etanol”, explica.

Para garantir a confiabilidade e a segurança do kit, a instalação deve ser realizada em oficinas credenciadas pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), onde todas as normas estabelecidas para o segmento são seguidas a rigor.

Os interessados devem atentar para o novo regulamento da promoção que, assim como a lista de oficinas autorizadas a realizarem o serviço de adaptação de veículos para o uso do GNV, está disponível no site: algas.com.br/gnv. Após regularizar a conversão do veículo, os motoristas devem entregar toda a documentação na sede da Algás, de segunda à sexta-feira, das 8h30 às 11h30.

Por Vitória de Alencar

Filmes produzidos por estudantes da zona rural de Arapiraca serão exibidos na Mostra Navi nas Comunidades

Por Isabela Souza,

Fase final do projeto contemplado pelo Edital Algás Social 2017-2018 acontece nesta sexta (21) com exibição dos cinco curtas-metragens feitos por estudantes de Arapiraca

As produções cinematográficas de estudantes da comunidade rural de Arapiraca serão exibidas na I Mostra Navi nas Comunidades, iniciativa da Associação dos Artistas de Massaranduba (AAMA), que ocorre nesta sexta-feira (21), às 19h. O evento acontecerá no Planetário e Casa da Ciência de Arapiraca, no Lago Perucaba, e a entrada é franca.

Contemplado pelo Edital Algás Social 2017-2018, o projeto social da AAMA começou promovendo, na comunidade rural de Arapiraca, a diversidade cultural através da realização de cinco oficinas teóricas e práticas de formação audiovisual. Linguagem cinematográfica, roteiro, fotografia, som e música para cinema, edição e montagem, pré-produção, produção e pós-produção foram alguns dos assuntos trabalhados com os estudantes em cinco localidades do município.

A segunda fase do projeto, a ser realizada nesta sexta-feira (21), conta com a exibição dos cinco curtas-metragens produzidos através das oficinas com os estudantes. Segundo a produção do evento, a Mostra Navi nas Comunidades tem como objetivo a “interação entre os realizadores e os espectadores, com debates e discussões sobre as experiências proporcionadas com as oficinas”.

Duas das produções são “O Homem das Coisas”, curta-metragem de direção coletiva desenvolvido na comunidade de Bananeiras, e “Serrote”, produzido em Batingas, que concorreu a prêmios na IX Mostra Sururu de Cinema Alagoano, projeto também beneficiado pelo Edital Algás Social.

Ainda de acordo com a organização, a estimativa é de que a Mostra Navi nas Comunidades tenha um público estimado em 300 pessoas, contando com os 150 alunos contemplados da comunidade rural de Arapiraca, moradores das comunidades, familiares, estudantes e público da zona urbana.

Por Isabela Souza

Medidas de segurança no uso do gás natural oferecem melhor eficiência do combustível

Por Isabela Souza,

Opção por gás natural apresenta rendimento energético e segurança; normas de uso e manutenção de equipamentos devem ser seguidas por consumidores

Quando o assunto é segurança, o gás natural é o combustível do mercado que mais oferece vantagens. Além de sua economia, eficiência e versatilidade energética, podendo ser usado nos setores residencial, comercial, industrial e veicular, o gás natural também pode ser bem mais aproveitado com a devida instalação e manutenção de seus aparelhos.

Assim como é preciso atentar a ligações elétricas e de água, existem também cuidados especiais a serem tomados com as ligações de gás natural canalizado. Segundo o major Roberto Wanderley Amorim Júnior, do Corpo de Bombeiros de Alagoas, na execução dos projetos de instalação, uma das primeiras responsabilidades técnicas é ter a ventilação adequada dos ambientes onde os aparelhos serão instalados.

“Agindo de acordo com as medidas e os ângulos padronizados pela norma da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), os estabelecimentos poderão usufruir da segurança e da melhor eficiência do combustível em aparelhos como fogões e chuveiros”, explica o major, referindo-se a norma NBR 13103/2013, que estabelece os requisitos mínimos exigíveis para a instalação de equipamentos a gás.

Ainda de acordo com o bombeiro, quando comparado ao gás liquefeito de petróleo (GLP), também chamado de gás de botijão, o gás natural também se mostra bem mais seguro, seja em estabelecimentos residenciais ou comerciais. Para o major, com o gás natural, o próprio fato de dispensar o armazenamento de botijões no imóvel já diminui os riscos de acidentes domésticos.

“Com instalações feitas corretamente, o sistema de gás natural canalizado oferece mais segurança porque, em caso de eventual vazamento, ele se dissipa rapidamente pelo ambiente por ser mais leve que o ar, evitando acidentes e explosões, ao contrário do gás de botijão, que é mais pesado que o ar”, conclui.

Para o gerente comercial da distribuidora de gás natural de Alagoas (Algás), Fabio Sousa, outra vantagem do combustível é a sua impossibilidade de ser adulterado. “O gás natural canalizado é regulado e segue uma série de especificações, como controle de pressão, odorante e outros componentes físico-químicos”, diz Sousa.

Fabio ainda ressalta a importância da manutenção periódica dos equipamentos, que deve ser realizada somente por prestadoras de serviços com registro no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA). “É essa manutenção, que pode ser feita no mínimo uma vez por ano, que se mostra essencial para a segurança e melhor aproveitamento dos equipamentos que fazem uso do combustível”, conclui.

Além de indicar que a instalação e a manutenção sejam feitas por oficinas registradas, a Algás ainda destaca que os consumidores devem observar a certificação dos equipamentos movidos a gás natural pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) para garantir melhor eficiência energética do combustível.

 

Por Isabela Souza